Carlos Sousa “Foi um excelente teste para o Dakar, tanto do ponto de vista físico como da condução”

A sensivelmente um mês de se apresentar à partida do rali Dakar 2012, Carlos Sousa juntou-se este domingo à restrita lista de vencedores das 24 Horas TT – Vila de Fronteira, no regresso do piloto português à equipa liderada pelo luso-francês Mário Andrade e ao Moncé Clio V6 cuja estreia já tinha apadrinhado em 2002.

Numa edição que juntou 90 equipas e mais de 360 pilotos no Terródromo de Fronteira, Carlos Sousa logrou chegar à primeira vitória da sua carreira na prova organizada pelo Automóvel Clube de Portugal e onde apresentava até agora um 2º lugar como melhor resultado, quando em 2003 partilhou a Mitsubishi Strakar oficial com Miki Biasion, Stéphane Peterhansel e Miguel Barbosa.
“Nunca é fácil vencer uma prova e muito menos se esta tiver 24 horas de duração e quase uma centena de equipas em pista! Na verdade, mais do que ter o melhor carro e os pilotos mais rápidos, importa aqui saber encontrar o equilíbrio certo entre rapidez e regularidade, um pouco a exemplo do que acontece num Dakar”, explica Carlos Sousa, que aproveitou esta prova precisamente para ganhar algum ritmo competitivo antes da partida para a América do Sul.

“Nesse particular, e porque já não competia desde abril, foi um excelente teste para o Dakar, tanto do ponto de vista físico como da condução, uma vez que pude realizar bastantes quilómetros em ritmo de prova e em condições sempre muito díspares”, acrescenta Carlos Sousa, recém-chegado da China na última quarta-feira, onde foi apresentado como piloto oficial do Team Great Wall no Dakar 2012.

Convidado por Mário Andrade para liderar um quarteto que incluía ainda Francisco Pita e o francês Cédric Duplé, este em estreia na prova alentejana, Carlos Sousa revelou-se determinante para o quarto sucesso da equipa em Fronteira, sobretudo quando tomou de assalto a liderança da corrida ao início da noite e, já a meio desta manhã, confirmou o triunfo do Moncé Clio V6 no seu último turno de condução.

“Nem tudo foi fácil de início, já que logo na partida tivemos uma avaria com a bomba de gasolina que nos atrasou bastante na classificação. Contudo, encetamos depois uma fantástica recuperação até final do dia, chegando à liderança já ao cair da noite, altura em que apostámos forte e fizemos toda a diferença na fase mais exigente da prova”, resumiu Carlos Sousa, que viria a completar a corrida com 1 volta de vantagem sobre os segundos classificados e 2 voltas para os terceiros.

“O último turno foi particularmente difícil, não só pelo cansaço acumulado, mas principalmente porque o eixo traseiro do carro estava totalmente desalinhado. Face ao modo como iniciámos a corrida, a vitória acabou por ser algo surpreendente, mesmo se acabámos por ser regularmente os mais rápidos em pista”, concluiu o piloto português e um dos principais obreiros desta vitória em Fronteira.

(AutoSport)
Advertisements

Deixe um comentário

Filed under Fanáticos do Rally

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s