CMR > Sá vence sem grandes dificuldades no Machico

Vítor Sá venceu sem grande oposição a 4ª prova do Campeonato de Ralis “Coral“, o Rali do Marítimo, somando assim a 2 vitória da temporada. O piloto do Peugeot 207 S2000 ainda sentiu algumas dificuldades na fase inicial da prova, principalmente devido às condições atmosféricas adversas que se faziam sentir nos troços, mas assim que “tomou“ o pulso foi construindo uma vantagem para os seus perseguidores.

A estrear um novo motor, já equipado como as últimas evoluções disponibilizadas pela Peugeot Sport, e de umas suspensões que permitem um melhor comportamento da viatura japonesa, a dupla da Sá Competições aproveitou para fazer os últimos acertos antes de partir para a prova rainha do automobilismo madeirense.

Miguel Nunes reencontrou-se nesta prova com os bons resultados, tendo sendo o único piloto do Agrupamento de Produção a conseguir rodar perto do pluricampeão regional. O piloto que é acompanhado por Victor Calado no Mitsubishi Lancer Evo X foi claramente superior a todos os seus adversários e a diferença final de mais de um minuto assim o comprova. Com o piso molhado, o que é do seu agrado, o piloto do Team Tomiauto Total/Cepsa foi o que mais arriscou e foi dessa forma que construiu mais uma vitória no Grupo N.

João Magalhães conseguiu na ponta final da prova ascender ao terceiro posto, superando Filipe Freitas que era o detentor desse mesmo lugar. Em pouco menos de 3 quilómetros de classificativa (a da Super-Especial de Machico) o piloto que é navegado por Jorge Pereira ganhou 6 segundos e acabou por ascender ao lugar intermédio do pódio. Apesar de alguns percalços, como uma penalização de 10 segundos por se atrasar a trocar os pneus após uma das especiais, Magalhães acabou por conseguir se redimir desse erro e conquistar um excelente resultado que o deixou bastante satisfeito.

Com o sentimento contrário, muito insatisfeito, deve estar Filipe Freitas, o quarto classificado da prova organizada pelo Clube Sport Marítimo, pois o facto de ter batido o recorde (que era seu) da última especial não foi suficiente para impedir que o seu mais direto opositor conseguisse fazer melhor. O piloto do Lancer Evo X acabou por descer uma posição ainda antes de subir ao pódio, o que acabou por estragar um pouco a excelente reta final de prova que estava a fazer. Duarte Ramos voltou a rubricar uma excelente prestação, tendo mesmo na parte da manhã se colocado no meio do pelotão que tripula os Mitsubishi Lancer Evo X.

Indiferente às condições climatéricas adversas que se fizeram sentir na primeira ronda pelas especiais de classificação, o piloto que é navegado por Luís Ramos conseguiu realizar bons cronos, o que lhe permitiu ainda ocupar a 4ª posição da geral por algumas classificativas. Com o tempo a melhorar e com os seus adversários a recuperar o andamento, Duarte foi naturalmente ultrapassado, acabando por terminar num bom 5º lugar final.

André Silva conquistou hoje o seu melhor resultado da temporada de 2012, pois foi o 6º classificado e vencedor do Troféu Eng.º Rafael Costa e do Campeonato Júnior da Madeira. O piloto do Citroën C2 desta feita conseguiu “ultrapassar” os problemas mecânicos e rubricar um resultado que lhe relança na corrida pelo título em ambas as competições. Nas especiais em que o piso se encontrava muito escorregadio o jovem piloto conseguiu amealhar mais de 1 minuto de vantagem sobre Filipe Pires, beneficiando depois de um problema mecânico do mesmo para conseguir amealhar uma vantagem de 1 minuto e 15 segundos para o campeão em título do Troféu Eng.º Rafael Costa. Desta feita os problemas caíram para o lado do piloto da Pires Competições e só não foram mais prejudiciais porque surgiram nos últimos quilómetros da prova. O Citroën C2 não fazia mais que 3 mil rotações e isso fez com que Filipe Pires e Vasco Mendonça tivessem feito a última especial a um ritmo bastante lento, o que podia ter feito a equipa perder mais uma posição caso não tivesse um grande vantagem sobre quem seguia na sua peugada.

Isabel Ramos levou o Renault Clio R3 ao oitavo lugar final, depois de ter “cortado” o andamento devido às difíceis condições climatéricas encontradas nas primeiras especiais. Isso fez com que a equipa perde-se a caravana dos primeiros lugares das viaturas de duas rodas motrizes, impossibilitando assim a conquista de mais um bom resultado nesta temporada.

No nono lugar terminou António Nunes e Roberto Castro em Mitsubishi Lancer Evo X, estes que acusaram uma grande falta de confiança quando o piso se encontrava molhado. O acidente tido há dois anos nesta mesma prova acabou por pesar e muito no pé esquerdo do jovem piloto, pois o andamento foi sempre travado por essas más recordações. Quando secou e a equipa se preparava para recuperar algum do tempo perdido sofreu um furo e acabou por perder vários minutos, caindo na classificação geral até este mesmo lugar. Bruno Fernandes fechou o Top 10 da prova verde-rubra ao volante do Toyota Yaris, realizando mais uma prova ao seu ritmo e superando todos os obstáculos que foram surgindo pelo caminho.

Gabriel Fernandes foi o mais veloz por entre os concorrentes inscritos no Campeonato Open de Ralis da Madeira ao volante do Citroën AX, seguido de Nuno Nóbrega em Toyota Starlet e Emanuel Martins em Opel Corsa B.

O regional de ralis regressa agora com a prova rainha do automobilismo madeirense, o Rali Vinho Madeira.

– Link aos resultados completos

( RalisMadeira.com )

Deixe um comentário

Filed under Fanáticos do Rally

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s